Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

De caminho para a Sala Eurico Gama

 

Este é o corredor que conduz à

SALA EURICO GAMA

- que se vê ao fundo-.

...

Era como se mostram nas fotografias,

antes de ser recuperado.

Neste corredor frente à comoda onde se vê

uma jarra com flores

fica a sala nobre da Biblioteca

"SALA PUBLIA HORTÊNSIA DE CASTRO"

À porta desta sala está

uma velha estante de

música com uma reprodução do

"Cancioneiro de Elvas",

estudado por

MANUEL JOAQUIM

seu achador na referida sala.

CANCIONEIRO DA PUBLIA HORTÊNSIA

CANCIONEIRO DE MANUEL JOAQUIM

São os

outros nomes dados a este

códice do séc. XV ou XVI

..

Maria José Rijo

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Maria José 28.06.2008

    Aristeu - Cada vez que penso que andaram por aí ás voltas e não foram a Juromenha - aqui tão perto - 18 kl. apenas..penso que só no "tal" dia em que chegar o "tal" retrato - é que deixarei de rabujar.
    Mas ... eu vinha, para além de agradecer a sua preciosa atençao, falar um pouco sobre a intensão com que se faz este blog.
    Desde muito criança que, por atavismo, talvez, me incomoda a injustiça.
    Pois, quis Deus, que tivesse acontecido na minha vida uma incursão, embora curta,( por decisão minha, pelo deencanto) no mundo da chamada "política".
    Ainda em visita de reconhecimento aos espaços onde iria trabalhar, já me perguntavam: o que é que a senhora vai mudar?
    Ao que eu respondia: - mas mudar o quê e porquê?
    O propósito é informar-me, conhecer ,e, se for possível beneficiar algumas coisas.
    Vim a perceber, que cada um que chegava,antes de pensar em fazer - começava por desfazer, o rasto do seu antecessor.
    Ora, ainda hoje é esse o critério que promoveu perseguições que quase levaram ao suicídio um interveniente.
    Não se me afigura justo esse procedimento. E, se eu puder, não deixarei, porque hoje se vai á lua, que se apague da história a epopeia dos descobrimentos...
    O caminho de qualquer vida é feito da soma de todas as suas experiências, sejam elas vitórias ou fracassos.
    E, "o caminho faz-se caminhando"
    E, cada coisa tem seu tempo, seu espaço próprio.
    Se a Biblioteca, em devido tempo não tivesse sido salva, não teria havido agora a oportunidade, que se louva, de ela ter sido modernizada.
    Outrotanto já não se pode dizer da destruição da Sala Eurico Gama.
    Não falto à verdade e penso que não dependendo da Câmara estou , como ninguém, na posição certa para contar o que, acho que tenho, por sentido de dever, obrigação de contar para que "fique escrito"e se possa entender, como a outra face da mesma moeda.
    O propósito não é comparar.
    O propósito é não deixar esquecer o percurso feito até aqui.
    Estou com a sensação de que o meu amigo Luciano está mais animado, o que muito me alegra.
    Eu vou tentando mete-lo ao "barulho".Já que não vos posso acompanhar nos pic- niques, vou-lhes dando oportunidades de se distraírem com as minhas aventuras.
    Beijinhos " menino dos olhos lindos"
    Tia Zé


  • Sem imagem de perfil

    Aristeu 28.06.2008

    Confesso Tia
    Que estou até emocionado porque ao ler o seu
    comentário foi como se estivesse a ouvir a sua voz,
    que eu adorava ouvir, dentro de mim.
    Obrigado Tia.

    Sobre esta história verdadeira da Biblioteca devo
    dizer que - CLARO que se não fosse a sua Obra, a
    obra da sua Câmara de 86-89 - em salvar a linda
    biblioteca de então - hoje não seria assim como é.
    Ninguém faz o futuro do nada - tem sempre que
    haver passado embora muitas vezes tudo façam
    para o apagar.
    Não basta apagar o cartucho do faraó porque ainda
    hoje ele é recordado na história!

    O meu Pai enquanto caminhavamos no interior da
    nova biblioteca disse sentir mágoa por ter visto
    desaparecer a sala do seu amigo Eurico Gama.
    É de lamentar e até disse que os cinco mil livros que
    tinha (pelas três casas) não daria nunca a essa
    biblioteca então agora vamos doá-los todos aqui no
    Brazil.
    Concordo com o seu comentário embora muitos
    outros digam o contrário.
    Aquí reside a verdade do que foi o seu trabalho
    numa biblioteca quase toda devorada pela formiga
    branca.
    Bem haja por este QUE FIQUE ESCRITO - é
    essencial que se dê a conhecer estes factos da
    história.
    Tem todo o meu apoio.

    Aristeu
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.