Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

Monografia – Eurico Gama

Rainha da Fronteira

 

NOTA BREVE

 

É quase com o sentimento de culpa de quem comete uma inconfidência, que se lê o “Termo de Abertura” de

 

ELVAS

Rainha da Fronteira

 

(monografia resumida)

Por

Eurico Gama

 

Qualquer pessoa, por muito desprevenida que esteja, ao tomar contacto com esta obra, sentirá, que, para além da verdade histórica que lhe é narrada, toca os sentimentos íntimos do autor.

Em verdade, se Eurico Gama foi escritor, etnólogo, investigador e historiador reconhecido, tudo isso soube ser – por ter sido – não apenas, mas muito principalmente: Poeta do Amor à sua terra.

Eurico nasceu em Elvas a 11 de Junho de 1913 e viria a falecer em Portalegre em 5 de Junho de 1977.

Pouco tempo antes de morrer, ainda era Elvas e só Elvas, a sua maior preocupação, quando confidenciava a sua mulher:

“ A vida é tão curta e eu tenho ainda tanto que fazer!”

Eurico, tal como um herói de velhas lendas ou destemido cavaleiro medieval – frente à sua Rainha – a cidade de Elvas – foi o súbdito reverente, zeloso e fiel, que apaixonadamente a serviu a vida inteira.

Este Câmara, que da mesma cidade de Elvas recebeu mandato neste ano de 1986 – publicando obra sua – exerce justiça e honra a sua memória.

 

Junho de 1986

 

Maria José Rijo