Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

Ficou escrito...

Sei para onde vou @ pela ansia de galgar a distância @ de onde estou @ para o que não sou @ *** Maria José Rijo @@@@ Sonhos em que acreditei -- causas que defendi

ALARME

Cada vez que se agridem ou destroem valores culturais não se progride.

Agrava-se o subdesenvolvimento.

Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles

SIC – 3 de Outubro de 1994

 

Lotear a Quinta do Bispo não ajuda o progresso da cidade.

Muito ao contrário. Porque fazendo-o se enterra história e se suprime uma zona verde importante e vital para a imagem de Elvas como é desejável e salutar que no possível se conserve com mais árvores e menos cimento.

Se “este milagre” de alterar o plano que salvaguardava estes bens foi conseguido pelo Sr. Arq. Paulo Barral a minha piedade para ele pela forma como gere a sua inteligência não olhando ao mal irremediável que semeia; e os meus pêsames à Câmara pelo luto que lança sobre Elvas sem que se perceba com que fins.

 

Palavras de Maria José Rijo subscritas integralmente por esta redacção.

 

N.B. recorde-se que o secular Plátano ali existente foi declarado de interesse público por despacho de Diário da República nº 7 II série de 9-I-975 nos termos do artigo único nº 1 do decreto-lei nº 28468 de 15-2-938 Diário do Governo nº 37 Iª Série.

 

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.268

7 de Outubro de 1994

2 comentários

Comentar post